MALHADINHO – NOS TRILHOS DA EMOÇÃO

DUELO

O bumbá azul não repetiu o que apresentou no ensaio geral e ainda ameaçou não entrar na arena

Graças à atitude impensada do compositor Paulo Jorge no inicio da primeira apresentação do boi bumbá Malhadinho sexta feira 10, no 18ª Duelo na Fronteira. “Nós integrantes da banda do Malhadinho decidimos que se em dez minutos, não recebermos nosso cachê, não tocaremos”, foi como água fria na fervura. Essa notícia chegou ao camarim onde os brincantes estavam se aprontando, deturpada. “Não adianta se vestir por que o boi não vai mais se apresentar”. Em menos de cinco minutos o compositor que veio de Juruti no Pará, anunciou: “Em respeito ao público resolvemos tocar”, o desastre já havia acontecido e o resultado foi que o Malhadinho fez uma apresentação muito aquém da esperada pelos seus simpatizantes e pelo público que lotou camarotes e arquibancadas do bumbódromo de Guajará na noite da. Como se não bastasse o grupo comandado pelo Leonilson Muniz deve ser punido por só ter colocado 12 vaqueiros e 3 tuxauas, quando o regulamento exige no mínimo 20 vaqueiros e 4 tuxauas, também existe a suspeita de que o boi saiu da arena com dois minutos e trinta segundos atrasado.  Todos os problemas citados, podem ter sido superados na apresentação de domingo, é difícil, mas, não impossível.

As fotos dessa reportagem são do Roni Carvalho

Anúncios
por Coordenação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s